GRUPOS DE PESQUISA

Com participação de Silvia M. Gasparian Colello

Centro de Estudos Medievais - Ocidente & Oriente

Centro de Estudos Medievais – Ocidente & Oriente

Centro de Estudos Medievais - Ocidente & Oriente

Aprovado oficialmente em 8 de outubro de 2002 pelo Conselho de Departamento do EDF-FEUSP, Departamento de Filosofia e Ciências da Educação da Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo, o CEMOrOc – Centro de Estudos Medievais – Oriente & Ocidente, vem consubstanciar institucionalmente um trabalho de cooperação editorial e acadêmica – centrada em torno de temas medievais e orientais – que vem sendo desenvolvido desde 1997 a partir do EDF (e do DLO-FFLCHUSP, Departamento de Letras Orientais da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da USP). Em sua dimensão editorial, esse projeto traduziu-se na publicação de mais de duzentos volumes de revistas, no site da Editora Mandruvá, em co-edições da USP com parceiros internacionais. O mesmo ocorre na organização de atividades e dos Seminários Internacionais CEMOrOc Filosofia e Educação, em 2013 em sua XIII edição.

Grupo de Estudos e Pesquisas sobre Alfabetização e Letramento

Grupo de Estudos e Pesquisas sobre Alfabetização e Letramento

Grupo de Estudos e Pesquisas sobre Alfabetização e Letramento

Criado em 2003, o GEAL – Grupo de Estudos e Pesquisas sobre Alfabetização e Letramento é coordenado pela Profa. Dra. Silvia M. Gasparian Colello. Seu objetivo é promover debates e reflexões sobre o ensino da língua escrita e, mais especificamente, acompanhar o desenvolvimento de pesquisas, em nível de Mestrado e Doutorado da Faculdade de Educação da USP, nas seguintes linhas de investigação:

 

  • Concepções sobre alfabetização e letramento

  • Processos cognitivos na conquista da língua escrita

  • Práticas pedagógicas no ensino da língua escrita

  • Produções textuais em crianças e adolescentes

  • Formação de professores alfabetizadores

 

O grupo conta com 7 mestrados e 4 doutorados já concluídos. Além disso, como parte de suas produções é possível destacar ainda os Seminários “Desafios do ler e escrever na escola” realizados na Fundação de Apoio à Faculdade de Educação – FAFE em 2007 e a publicação da coletânea “Terxtos em contextos – Reflexões sobre o ensino da língua escrita” (São Paulo, Summus Editorial, 2011).

Núcleo de Pesquisas em Novas Arquiteturas Pedagógicas

Núcleo de Pesquisas em Novas Arquiteturas Pedagógicas

Núcleo de Pesquisas em Novas Arquiteturas Pedagógicas

O Núcleo de Pesquisas em Novas Arquiteturas Pedagógicas (NP-NAP) se dedica a promover estudos, pesquisas e ações de intervenção que levem à reinvenção da educação e dos processos pedagógicos inerentes às relações de ensino e de aprendizagem, em todos os níveis e modalidades. O principal objetivo do núcleo é o desenvolvimento de projetos de pesquisa e de intervenção que incorporem em sua concepção as novas linguagens e tecnologias que permeiam a vida cotidiana das pessoas, a ética nas relações humanas, e as diferentes culturas dos sujeitos da educação. Dentre as ações preferenciais do Núcleo de Pesquisas em Novas Arquiteturas Pedagógicas destacam-se: o oferecimento de cursos diversificados de formação de professores e outros profissionais; desenvolver meios inovadores de interação humano-computador para ambientes virtuais de aprendizado, em diferentes plataformas e linguagens, tanto para computadores pessoais quanto para dispositivos móveis; introduzir novos conteúdos curriculares, novas formas de instrução e representação dos conhecimentos e novas formas de interação entre os sujeitos da educação, visando a construção de aprendizagens mais significativas; criar materiais didáticos que incorporem novas e diferentes linguagens, considerando as representações dos sujeitos da educação sobre as relações de ensino e de aprendizagem.

Subprojeto de pesquisa: A escola e as práticas interativas na produção textual

Ao longo dos anos, a alfabetização e o ensino da língua escrita configuram-se como metas prioritárias da escola. No entanto, mesmo em um momento onde o desafio maior parece ser o da alfabetização digital, o desempenho dos alunos do Ensino Fundamental I no domínio da língua portuguesa está muito aquém das metas desejáveis. Vem daí o interesse em (re)significar o ensino da língua escrita para subsidiar novas diretrizes e propostas pedagógicas. Com esse foco, a pesquisa tem como objetivo estudar o processo de produção textual colaborativa, feita em diferentes condições (papel ou computador) e com diferentes objetivos (expressão de ideias, comunicação e resolução de problemas). Ao eleger como tema das produções a vida escolar e a própria escrita, o estudo visa também aprofundar a compreensão da criança sobre a língua, a escola e seus problemas.